>Blog Ludugero desde que me entendo por Ludugero

>

Definição


Não tenho, 
de certo o condão 
para tanto. 

Nem tento, 
porque definição limita. 
E poesia não se prende 
a laço ou amarras. 

Poesia é embocadura, 
é nascente de rio 
que não se represa. 
Só verte e se alastra 
desde as cabeceiras. 

Seria como tentar definir amor! 
É melhor seguir amando, 
vice-versando, 
poematizando… 
Em vírgulas, não pontos.
João Poeta

Vá pelo link 
[Ludugero]


>Blog Sobre o Tempo

>Emoções disse…

Poetas
Ai almas dos poetas
Não as entende ninguém,
São almas de violeta
Que são poetas também.
Andam perdidas na vida,
Como estrelas no ar;
Sentem o vento gemer
Ouvem as rosas chorar!
Só quem embala no peito
Dores amargas secretas
É que em noites de luar
Pode entender os poetas.
E eu que arrasto amarguras
Que nunca arrastou ninguém
Tenho alma para sentir
A dos poetas também!
3 de maio de 2011 17:41
Nem se queira descrever a magia poesia
de palavras de João:
Blog Sobre o Tempo
Por João
Postagem  Os Três Mal Amados

>Blog Diário da Kiro

>Simone Martins2 disse…

Sabe Kiro, sou professora de Educação Infantil e vejo que: 

enquanto a criança nao aprende o real significado das coisas, 
vive sempre feliz e diverte-se muito mais, do que quando passa a sabe-lo…
As vezes, precisamos esquecer a origem de algo, para que nao perca o brilho e a alegria…
bjin

Essa mulher incrivel e encantadora se perdeu no meu Díário 
e me presenteou com um sorriso nessa manhã tão nublada em minha alma…

Obrigada, querida.
Em Díário da Kiro
Postagem Para ser feliz – de uma Imortal
Os Blogs da Simone

Blog “Meu Modo Suave de Escrever”

Blog Simone MartinS2… Bipolaridade

Blog Ainda não Cresci…

>Blog Ludugero desde que me entendo por Ludugero

>Luís Coelho disse…

Lavrar a terra e lançar as sementes quer dizer fazer amor com ela e deixar que as sementes germinem com as chuvas que as humedecem.

A terra é feita de amor pelas mãos que a acariciam, a mondam e a replantam. Deus faz renascer dela todo esse amor. Por isso nos é tão grato colher os seus frutos que nos alimentam.

18 de maio de 2011 22:34
Rendidas, sementes germinam no jardim do Poeta
Blog Ludugero desde que me entendo por Ludugero
Por João Maria Ludugero
Postagem LAVOURA: PLANTANDO SEMENTES, 
RAMAS E VERSOS

>Blog Non je ne regrette rien: Ediney Santana

> Por que você faz poema? disse…

A cidade e suas sombras
do passado
do presente.

A cidade não assombra
não é sombria.

16 de maio de 2011 07:14

A Cidade, declamada por Ediney…
Blog Non je ne regrette rien: Ediney Santana
Por Ediney Santana
Postagem A Cidade


>Blog Poliedro

> margusta disse…

Das fendas abertas,
a noite,
exala suspiros,
enche os pulmões de memorias,
e expira saudades…
Escuta-se o eco da voz,
das gargalhadas,
do riso,
ainda aninhado nos teus braços.
Não existem distancias,
ficam tão perto os teus lábios…
Amanheço , com o eco da tua voz,
ainda na minha boca…

:):):) Apeteceu-me 🙂

Lindo o poema Al. Adorei esta imagem…

Beijinhos!…

11 de Maio de 2011 21:03
Feitiços de Albino…
Blog Poliedro
Por A.S.
Postagem Feitiço de Lua

>Blog Um Cara de Sampa

>Manoel Britto disse…

Será que há possibilidades de um amor ser eterno?
Será que um casal pode se autoconhecer?
Será que nenhum tentará tomar o poder?
será que essas perguntas são necessárias pra entender? talvez sim, talvez não. Então, pq não não pular as dúvidas, viver a intensidade da relação, encarar os problemas, descobrir um novo mundo e ser devaneio do destino. Viver no talvez nem leva, nem traz, pousa e nunca mais sai.


Gostei do seu blog. seguindo-te.

Se quiser visitar o meu:

http://manoelbritto.blogspot.com/ 

Abraço!

Pois são das interrogações que buscamos conclusões.
Blog Um cara de Sampa
Por Dave
Postagem Trecho #1


>Blog Non je ne regrette rien: Ediney Santana

>

Sam disse…

sou o meu meio, fim e começo
nessa ordem mesmo, se eu quiser
porque só eu sei onde me sangro
só eu sei onde gozo meu dia
onde estrapolo meus conceitos
meus arames farpados,
só eu sei onde me atrelam
onde me atropelam,
só eu sei de mim
como cada um sabe de si…
seja o que for.

“Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”

Meu carinho,Ediney
Um bonito domingo
Samara Bassi.

1 de maio de 2011 07:12
Inspirador, Ediney Santana fascina os corações!
Blog Non je ne regrette rien: Ediney Santana
Por Ediney Santana
Postagem Sou o que sou e isso é tudo que sou


>Blog Roseira Ferida (carinhos!)

> soniaconsult disse…

Kiro minha flor,
Se pudesse te daria uma caixinha cheia de corações recortados de papel de todas as cores.
E seria um efeito lindo quando abrisses e todos caindo nos teus pés como uma chuva.
A alegria e a surpresa iriam fazer brotar em teus lábios uma lindo sorriso e este apagaria minha indelicadeza contigo.
Mesmo não aparecendo tão seguido quero que saibas que ainda és a minha amiga virtual mais amada.
Te amo viu? Não esqueça.
Mil beijos

5 de maio de 2011 04:43
Amizades independem de distancias
de presença
de olhares mal interpretados ou cumplices

Amizades existem de alma
de vidas
de companheirismo e carinhos

Amizades eternizam-se em palavras e gestos
em sintonia de coração
de batimentos
de pulsação

Amizade é o amor mais nobre
mais puro e casto
mais simples e objetivo
sem o avassalo da paixão inebriante
sem o desejo cobiçoso e egoísta

Minha linda e doce amiga,
tenho por ti a mais pura Amizade…

Com muito carinho, um beijo doce ♥
Sonia Fátima: Blogs O Portal, Trocando Idéias
e carinhosamente criado: Blog Niver

>Blog Poliedro

> Parapeito disse…

🙂 Ao ler o seu Grito…recordei Manuel da Fonseca…com a sua permissão deixo aqui parte de um poema dele…por encontrar no seu e no dele a mesma força.

“Acorda, amigo, 

liberta-te dessa paz podre de milagre 
que existe 
apenas na tua imaginação. 
Abre os olhos e olha, 
abre os braços e luta! 
Amigo, 
antes da morte vir 
nasce de vez para a vida.


Manuel da Fonseca, in “Poemas Dispersos”
brisas doces***

30 de Abril de 2011 00:29
O grito afugente os males da alma!
Blog Poliedro
Por A.S.
Postagem O Grito


Entradas Mais Antigas Anteriores